quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Pensamentos , Frases Lindas, Inspirações, Poemas

 

Tem um não sei quê,
Que nasce não sei onde,
E começa não sei como.
Só sei que quando dá
Ninguém sara.
Você ja teve isso?

"Deus...
Dê-me olhos que vejam o melhor nas pessoas, um coração que perdoe o pior, uma mente que se esqueça o mal, e uma alma que nunca perca a fé."

Que assim seja...




Primeiro Seminário de Bordado da UNICAMP

Quando um fio de linha perpassa o fundo de uma agulha e as mãos habilidosas de um ser humano encontram um pedaço de pano, nasce um caso de amor e arte: a magia chamada “Bordado”. A técnica de juntar fios coloridos sobre tecido opaco traz mais que lembranças e fatos históricos do homem primitivo, pois mostra, também, as “costuras pela sobrevivência”, feitas em peles de animais, vestes litúrgicas e ornamentos da realeza.

Bordar e narrar têm um caráter organizador. Quando se borda ou se narra, cria-se um novo traçado para a própria história, o que dá forma ao próprio milagre da criação! Bordar é a possibilidade de recompor a história da vida, é o fio condutor de diferentes gerações que deixam suas marcas no tecido e no tempo.
Novembro 2014




O aprendizado dos bordados traz tantos ensinamentos a um ser em construção.
Imagine
-atenção concentrada
-observação
-quietude
-domínio de si mesmo
-obediência
-paciência
-criatividade
-confiança
-autoestima
-Paz.
Quanto deixamos de adquirir sem esta prática...
Rose B. 28/09/14



Excelência

Um excelente educador não é um ser humano perfeito, mas alguém que tem a serenidade para se esvaziar e sensibilidade para aprender.

Dr. Augusto Cury

 Transparência
Uma Janela que transmite transparência
realiza o que se espera dela.
Ao nos tornarmos transparentes
seremos autênticos
Realizaremos a verdade que desejamos ver do lado de fora.
Rose B.


Costurando tecidos
unindo sentimentos
remendando lembranças
cerzindo saudades
Assim vamos nós
Tecendo a vida.
Rose B.
 









 posso tecer um poema ...
com pedaços de nuvens,retalhos de ventos, 
fios do orvalho,sedas de mares,
meadas de primaveras,linhos de noites ,
plumas de pássaros,cambraias de lagos.
posso bordar um poema...
com os olhos da saudade, com os dedos dos segredos, 
com as mãos do desejo.
Ana Merij
&
Alina Sibera











Por Que As Pessoas Gritam?
 Um dia, um pensador indiano fez a seguinte pergunta a seus discípulos:
 - Por que as pessoas gritam quando estão aborrecidas? 
- Gritamos porque perdemos a calma, disse um deles.
 - Mas, por que gritar quando a outra pessoa está ao seu lado?
 – Questionou novamente o pensador. 
- Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça, retrucou outro discípulo. 
E o mestre volta a perguntar:
 - Então não é possível falar-lhe em voz baixa? 
Várias outras respostas surgiram, mas nenhuma convenceu o pensador.
 Então ele esclareceu: 
- Vocês sabem porque se grita com uma pessoa quando se está aborrecida?
O fato é que, quando duas pessoas estão aborrecidas, seus corações se afastam muito
. Para cobrir esta distância precisam gritar para poderem escutar-se mutuamente. 
Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para ouvir um ao outro, através da grande distância. 
Por outro lado, o que sucede quando duas pessoas estão enamoradas? 
Elas não gritam.
 Falam suavemente. E por quê? 
Porque seus corações estão muito perto. A distância entre elas é pequena.
 Às vezes estão tão próximos seus corações, que nem falam, somente sussurram.
 E quando o amor é mais intenso, não necessitam sequer sussurrar, apenas se olham, e basta. 
Seus corações se entendem.
 É isso que acontece quando duas pessoas que se amam estão próximas. 
Por fim, o pensador conclui, dizendo:
 “Quando vocês discutirem, não deixem que seus corações se afastem, não digam palavras que os distanciem mais, pois chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta”
 Mahatma Gandhi.




Mesmo sem ti
o meu poema nasceu.

Sem razão aparente
sem forma
sem tema.

Foste tu ausente
a origem do meu
poema.

Maria do Carmo Abecassis

As palavras tapam os buracos do dia, são meus Word-Aids, frases adesivas, idéias tapa-furo
. Cada vez que o dia vaza por mais um rasgo, trato de consertar com o que escrevo.
Grande rombos, textos; buracos, parágrafos; furos, palavras; orifícios, 
qualquer sinal de pontuação dá conta.
Minhas palavras não são meu domínio sobre o mundo, como eram as de Clarice, 
mas impedem que o dia rebente. 
Segue ele então remendado, cerzido.
 Às vezes são remendos finos, de brocado, seda, cetim; noutras,
 qualquer pedacinho de tergal serve.
Vêem? Não sou escritora.
 Sou uma costureira que conserta os dias.
TICCIA




Quando uma mulher borda ela entra em seu eu mais profundo.
Ao bordar você descortina os sentidos e a observação faz uma conexão direta com o coração.
Não existe quem não saiba bordar.
O que pode existir é o desconhecimento da técnica que mais se adéqua ao seu sentido.
Se você, mulher sensível, vê beleza num bordado, creia,
Está pronta para iniciar.
Vem tentar
Rose Becker.
21 Março 2014


A MOÇA TECELÃ

Acordava ainda no escuro, como se ouvisse o sol chegando atrás das beiradas da noite. E logo sentava-se ao tear.
Linha clara, para começar o dia. Delicado traço cor da luz, que ela ia passando entre os fios estendidos, enquanto lá fora a claridade da manhã desenhava o horizonte.
Depois lãs mais vivas, quentes lãs iam tecendo hora a hora, em longo tapete que nunca acabava.
Se era forte demais o sol, e o jardim pendiam as pétalas, a moça colocava na lançadeira grossos fios cinzentos do algodão mais felpudo. Em breve, na penumbra trazida pelas nuvens, escolhia um fio de prata, que em pontos longos rebordava sobre o tecido. Leve, a chuva vinha cumprimentá-los à janela.
Mas se durante muitos dias o vento e o frio brigavam com as folhas e espantavam os pássaros, bastava a moça tecer com seus belos fios dourados, para que o sol voltasse a acalmar a natureza.
Assim, jogando a lançadeira de um lado para outro e batendo os grandes pentes do tear para a frente e para trás, a moça passava seus dias.
Nada lhe faltava. Na hora da fome tecia um lindo peixe, com cuidado de escamas. E eis que o peixe estava na mesa, pronto para ser comido. Se sede vinha, suave era a lã cor de leite que entremeava o tapete. E à noite, depois de lançar seu fio de escuridão, dormia tranqüila.
Tecer era tudo o que fazia. Tecer era tudo o que queria fazer.
Mas tecendo e tecendo, ela própria trouxe o tempo em que sentiu sozinha, e pela primeira vez pensou como seria bom ter um marido ao lado.
Não esperou o dia seguinte. Com capricho de quem tenta uma coisa nunca conhecida, começou a entremear no tapete as lãs e as cores que lhe dariam companhia. E aos poucos seu desejo foi aparecendo, chapéu emplumado, rosto barbado, corpo aprumado, sapato engraxado. Estava justamente acabando de entremear o último fio da ponta dos sapatos, quando bateram à porta.
Nem precisou abrir. O moço meteu a mão na maçaneta, tirou o chapéu de pluma, e foi entrando na sua vida.
Aquela noite, deitada contra o ombro dele, a moça pensou nos lindos filhos que teceria para aumentar ainda mais a sua felicidade.
E feliz foi, por algum tempo. Mas se o homem tinha pensado em filhos, logo os esqueceu. Porque, descoberto o poder do tear, em nada mais pensou a não ser nas coisas todas que ele poderia lhe dar.
- uma casa melhor é necessária – disse para a mulher. E parecia justo, agora
que eram dois. Exigiu que escolhesse as mais belas lãs cor de tijolo, fios verdes para os batentes e pressa para casa acontecer.
Mas pronta a casa, já não lhe pareceu suficiente. - Por que ter casa, se podemos ter palácio? – perguntou. Sem querer resposta, imediatamente ordenou que fosse de pedra com arremates de prata.
Dias e dias, semanas e meses trabalhou a moça tecendo tetos e portas, e pátios e escadas, e salas e poços. A neve caia lá fora, e ela não tinha tempo para chamar o sol. A noite chegava, e ela não tinha tempo para arrematar o dia. Tecia e entristecia, enquanto sem parar batiam os pentes acompanhando o ritmo da lançadeira.
Afinal, o palácio ficou pronto. E entre tantos cômodos, o marido escolheu para ela e seu tear o mais alto quarto da mais alta torre.
- É para que ninguém saiba do tapete – disse. E antes de trancar a porta a chave advertiu: - Faltam as estrebarias. E não se esqueça dos cavalos!
Sem descanso tecia a mulher os caprichos do marido, enchendo o palácio de luxos, os cofres de moedas, as salas de criados. Tecer era tudo o que fazia. Tecer era tudo o que queira fazer.
E tecendo ,ela própria trouxe o tempo em que sua tristeza lhe pareceu maior que o palácio com todos os seus tesouro. E pela primeira vez pensou como seria bom estar sozinha de novo.
Só esperou anoitecer. Levantou-se enquanto o marido dormia sonhando com novas exigências. E descalça para não fazer barulho, subiu a longa escada da torre, sentou-se ao tear.
Desta vez não precisou escolher linha nenhuma. Segurou a lançadeira ao contrário, e, jogando-a veloz de uma lado para outro, começou a desfazer o seu tecido. os cavalos, as carruagens, as estrebarias, os jardins. Depois desteceu os criados e o palácio. E todas as maravilhas que continha.E novamente se viu na sua casa pequena e sorriu para o jardim além da janela.
A noite acabava quando o marido, estranhando a cama dura, acordou, e espantado olhou em volta. Não teve tempo de se levantar. Ela já desfazia o desenho escuro dos sapatos e ele viu seus pés desaparecendo, sumindo as pernas. Rápido, o nada subiu-lhe pelo corpo, tomou o peito aprumado, o emplumado chapéu.
Então, como se ouvisse a chegada do sol, a moça escolheu uma linha clara. E foi passando-a devagar entre os fios, delicado traço de luz, que a manhã repetiu na linha do horizonte.

MARINA COLASANTI


O rosto de uma vida pode ser bordado com poucos fios.
 Depois do bordado pronto, alguém que olhe para o pedaço de vida revelado pela trama dos fios poderá se surpreender
: “Esta vida é minha!”
 É que os fios da vida têm a marca da repetição.
 No entanto, que rica trama a combinação desses fios pode revelar! 
Em todo caso, não se pode esquecer que uma coisa é o risco do bordado,
 outra coisa é o bordado da vida propriamente dito.
 Este se faz ponto a ponto, linha a linha,
 com vagar, paciência, humildade, 
espanto, dor, alegria – até o último fio.

ALEXANDRA RODRIGUES




O sol brilhava no bordado da menina.

E era tão lindo o jardim que ela começou a gostar dele mais do que de qualquer outra coisa.

Foi no dia da árvore. A árvore estava pronta, parecia não faltar nada. Mas a menina sabia que tinha chegado a hora de acrescentar os frutos. Bordou uma fruta roxa, brilhante, como ela mesma nunca tinha visto. E outra, e outra, até a árvore ficar carregada, até a árvore ficar rica, e sua boca se encher do desejo daquela fruta nunca provada
A menina não soube como aconteceu. Quando viu, já estava a cavalo do galho mais alto da árvore, catando as frutas e limpando o caldo que lhe escorria da boca.

Na certa tinha sido pela linha, pensou na hora de voltar para casa. Olhou, a última fruta ainda não estava pronta, tocou no ponto que acabava em fio. E lá estava ela, de volta na sua casa.

Agora que já tinha aprendido o caminho, todo dia a menina descia para o bordado. Escolhia primeiro aquilo que gostaria de ver, uma borboleta, um louva-a-deus. Bordava com cuidado, depois descia pela linha para as costas do inseto, e voava com ele, e pousava nas flores, e ria e brincava e deitava na grama.

O bordado já estava quase pronto. Pouco pano se via entre os fios coloridos. Breve, estaria terminado.

Faltava uma garça, pensou ela. E escolheu uma meada branca matizada de rosa. Teceu seus pontos com cuidado, sabendo, enquanto lançava a agulha, como seriam macias as penas e doce o bico. Depois desceu ao encontro da nova amiga.

Foi assim, de pé ao lado da garça, acariciando-lhe o pescoço, que a irmã mais velha a viu ao debruçar-se sobre o bastidor. Era só o que não estava bordado. E o risco era tão bonito, que a irmã pegou a agulha, a cesta de linhas, e começou a bordar.

Bordou os cabelos, e o vento não mexeu mais neles. Bordou a saia, e as pregas se fixaram. Bordou as mãos, para sempre paradas no pescoço da garça. Quis bordar os pés mas estavam escondidos pela grama. Quis bordar o rosto mas estava escondido pela sombra. Então bordou a fita dos cabelos, arrematou o ponto, e com muito cuidado cortou a linha.

Marina Colasanti




Uma prática saudável!
por Wild Gwen
AS 13 QUALIDADES DAS VELHAS SÁBIAS

1. Elas não se queixam! Aceitam que o que foi, foi e não pode ser mudado e o que interessa é daqui para frente. Não quer dizer que não expressem dor, mas não se lamentam, não se veem nem agem como vítimas.

2. São atrevidas, tem coragem de experimentar o novo, a buscar o não vivido, o não conhecido.

3. “Tem mãos para as plantas”, concreta e metaforicamente. “Plantam, regam e acompanham o crescimento” de plantas, pessoas, projetos...

4. Confiam em seus pressentimentos/ em sua intuição, honram sua sabedoria interna.

5. Meditam a sua maneira, cultivam um centro interno de silêncio e escuta, de prece e reconexão com o Sagrado.

6. Defendem com firmeza o que mais importa, descobrem sua voz e tendem a tornar-se mais rebeldes e radicais com tudo que consideram errado no mundo.

7. Decidem seu caminho com o coração, mesmo que esse caminho seja difícil.

8. Dizem a verdade com compaixão, mas dizem sempre a verdade, porque sabem que só a verdade cura e liberta.

9. Escutam seu corpo, não o veem como um objeto a ser aperfeiçoado, mas como um instrumento de prazer e auto conhecimento.

10. Improvisam, agem com espontaneidade, fluem com a vida.

11. Não imploram, não fazem NADA com a finalidade de serem aceitas.

12. Riem juntas, riem de si e com isso nutrem um profundo senso de irmandade, porque é um riso que expressa o triunfo do espírito e da alma sobre aquilo que poderia tê-las destruído ou as convertido em mulheres amargas .

13. Saboreiam o positivo da vida, sabem ter gratidão pela beleza da vida, mesmo que mesclada de sofrimentos.




"Fui caminhar na praia e a areia que o mar lambia estava toda rendada
Em meu quarto branco desenho com inédita disciplina
Das linhas úmidas do que vi, crio retratos
Uma ocupação diária que aos poucos revela minha cartografia íntima
Fio por fio, fio de ovos, fios de couro, cordões entretecidos de almas,
fios de filhos, filhos cor de rosa, vestidos de casa da abelha,
picolé de creme-holandês
Ponto de cruz, labirinto
Sou bordadeira de memórias."
ANA VALESKA - artista plástica cearense




Quem é um bom Mestre?
Um Mestre é aquele que transmite tudo o que sabe.
É quem sabe transmitir tudo com precisão.
Ou aquele que tem o dom da maestria?
O que sei
É que um Bom Mestre
Ensina quem nunca soube que sabia
A descobrir seus dons
E o transforma em outro Mestre.
Nada disto é possível
Se não for com muito Amor.
E se for com Amor TODOS SÃO CAPAZES.
Rose 7/6/14


O aprendizado dos bordados traz tantos ensinamentos a um ser em construção.
Imagine
-atenção concentrada
-observação
-quietude
-domínio de si mesmo
-obediência
-paciência
-criatividade
-confiança
-autoestima
-Paz.
Quanto deixamos de adquirir sem esta prática...





"A felicidade é uma coisa boa,
e tão delicada também.
Tem flores e amores,
de todas as cores.
Tem ninhos de passarinhos,
tudo de bom ela tem.
E é por ela ser assim tão delicada,
que eu trato dela sempre muito bem.

Vinicius de Moraes


“todos nascemos com uma caixa de fósforo por dentro, 
que não podemos acender sozinhos. 
Necessitamos de oxigênio e da ajuda de uma vela. 
oxigênio vem da boca da pessoa amada. 
E a vela pode ser uma melodia,
 uma palavra, um som, 
qualquer coisa que acenda um de nossos fósforos.
“se uma intensa emoção acender todos os fósforos ao mesmo tempo,
produzirá uma luz tão forte que veremos um túnel esplendoroso que nos
mostra o caminho, 
que esquecemos ao nascer, e que nos chama de volta a
nossa perdida origem divina”
Laura Esquivel.



Existe dentro da mulher um espaço a ser preenchido com o

"Belo".

Se incentivado e estimulado, se permitirmos, ele transforma

 linha em pura arte, mas não é só isso.

Ele tece dentro de nosso DNA a leveza e a pureza que a

 Mãe Natureza usou para nos construir.

Rose Becker- Dezembro 2013



Teço os caminhos em que eu mesma ando

Rasgam-se-me as vestes cerzidas pelo Tempo

Nua, detenho dos véus da Vida

Retalhos de minha cosedura.


Roberta Tostes





Isso eu considero uma verdadeira magia.

 Transformar-se amadurecendo seu 

auto-conhecimento . Rose B.


Nas veias de toda mulher, corre o sangue da liberdade, do respeito, do AMOR.
Para encontrar seu eixo, ela deve conhecer a sua sabedoria, seguir os passos do seu coração, expressar a sua verdade. Fazer da sua energia criativa a fonte para criar e encontrar o seu caminho.
Ela deve dançar conforme a sua música, e ouvir as batidas do coração da Mãe Terra que pulsa dentro do seu peito. Deve libertar-se do que lhe foi falado para conhecer através da sua própria imaginação o que ela acredita.
Ela precisa ser Livre para encontrar o seu prazer , a sua morada, a sua tribo. E quando ela encontra-se com sua tribo, ela encontra-se com ela mesma.

Caroline Ienne
Oh Pai de eterna bondade.

Como tua criação é assim perfeita, e eu sou parte dela,

 embora ainda em desenvolvimento, venho te implorar:

-Concede-me a visão clara para continuar te contemplando

 na Tua essência.

Rose B- 31/11/2013


Bordar não é estudar as variações de pontos,

bordar não é só para quem sabe. 

Bordar com uma Dumont é 

descobrir o que você já sabia e nunca usou.Rose



“Pedir para uma quilter remendar, 

é o mesmo que pedir

para Picasso pintar sua garagem!”

Uma semana cheia de vigor
Inspire-se nesta árvore 
que desafia tudo 
por acreditar em sua Força Interior


12 Maio 2013

Quando a mulher foi feita, algum sentimento de compaixão foi derramado pelo criador em uma dose um pouco maior.
Penso que é por isso que a mulher acolhe o filho em seu ventre, nutre e vela por ele o resto de sua vida.
Quando sofre, sofremos junto tentando dividir seu sofrimento.
Fomos feitas assim por pura compaixão divina.
Ser mãe é isso 
Amar incondicionalmente
Sempre.
Rose Becker.


“Tudo o que eu vivi me trouxe até aqui e sou grata a tudo, invariavelmente. 
Curvo meu coração em reverência a todos os mestres, espalhados pelos meus caminhos todos, 
vestidos de tantos jeitos, 
algumas vezes disfarçados de dor.” (Ana Jácomo)Roseli 06 Março 2013


Estrada da Vida


Caminhantes que somos nesta existência
Desde pequeninos a estrada nos mostra o valor da experiência
ela é nossa oportunidade derradeira
ficamos mais fortes, mais sábios , mais maduros 
só não crescemos quando estamos longe de nossa estrada verdadeira.
Rose Becker 26/01/13

Feliz 2013


A torneira é 2013

Você é o pássaro

O néctar vem quando sua flexibilidade permite.

Feliz abertura.

Rose Becker




Ser Útil

Quando vi esta imagem por aqui senti  uma mensagem muito forte sobre 
"Ser Fiel". 
Como pode um piano se prestar a servir de chafariz?
 A vida humana prega estas peças.
 O homem acha que a vida só vale a pena se for para ser vivida com gla
mour , mas esta imagem pode estar muito deturpada dentro de nós.
Glamour é dormir com a consciência tranquila.
É sentir felicidade em ver o outro mais feliz.
É ter respeito , caráter .
É poder andar de cabeça erguida, mesmo sem sandálias nos pés.
Ter os valores morais acima dos materiais.
Glamour é gostar de coisas simples mas verdadeiras, puras, singelas.
A sociedade as vezes quer que sejamos um piano branco de cauda, mas para isso deixamos de viver nosso real objetivo de vida.
Feliz aquele que sabe para que veio, e não importa o que querem que você seja, 

continua FIEL na  busca , e se compraz em ser apenas um chafariz.
Rose Becker 17/11/2012




Maternidade

 Dia 13 de Maio
 Dia das Mães
A Natureza , sustentada pelo Amor Verdadeiro 
derrama o sentimento da maternidade
a todos os seres viventes.
Sabedoria com Harmonia permeada pelo Amor Incondicional
=

Vida -Momento passageiro

'A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.'

Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira. ..
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê, já passaram-se 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado.

Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho, a casca dourada e inútil das horas.

Desta forma, eu digo:
Não deixe de fazer algo que gosta devido à falta de tempo, a única falta que terá, será desse tempo que infelizmente não voltará mais.'
Mário Quintana


Copiei a inspiração do Blog Patchworkamizade
26 Março 2012

As flores não duvidam da presença do sol diariamente 

e se entregam com confiança a espera da chuva

 para saciar sua sede.

Assim devíamos subir nossa escada da vida, 

tendo a certeza de encontrar

 crescimento a cada degrau conquistado. 

Rose Becker. 11.08.12


Colhemos as sementes que plantamos, acredite ou não.


Tudo é fruto de nossos pensamentos, sentimentos e atos.



A vida é isso... observe os degraus
Eles sofreram as investidas do tempo
Mas mesmo assim se permitiu deixar que a vegetação da confiança e da alegria penetrasse suas entranhas
O resultado é isso 
Muito mais do que seus olhos podem ver
Plenitude...
Permita-se Rose Becker, 30 Maio 2012



Nada nos prende quando nossa alma é livre e sem mágoas




Você já prestou atenção na "Mãe Natureza"?
Ela ensina cada coisa....
Estamos treinados a seguir certos padrões de comportamento que realmente não tem dado muito certo. Mas continuamos a espera que mudem as leis para podermos agir de outra forma.
Copiamos comportamentos, obedecemos imposições as vezes até abusivas para não sermos vistos como "estranhos".
Agora a natureza não tem que seguir esses critérios nossos e age por puro instinto.

Esta foto me fez pensar um pouco se eles estão à nossa frente ou se nós perdemos o bom senso à custa do politicamente correto.
A estória do "patinho feio", do "menino lobo", e as manchetes nos mostrando sempre coisas estranhíssimas como estas, não conseguem me convencer que estão agindo por instinto.
Parece que agem por razão, por iluminação.
Está na hora de prestar mais atenção ao que seguimos, ao que compramos, aos que escolhemos para decidir por nós.
Rose.
Maio 2012





Seu Anjo está te dando as costas?
Veja porque.
Pesquisando a Cabala, encontrei estas instruções que vêm de encontro aos ensinamentos dos Mestres Ascensionados.
Rose Becker



A Purificação, segundo o Rabino Akiva.
Ele foi um grande mestre espiritual da Cabala, que aprendeu a remover o medo de sua vida.

Ele diz que carregamos um excesso de bagagem pois nos apegamos a bens materiais, idéias congeladas que não correspondem a nosso real potencial criativo. Acreditamos que para sermos felizes dependemos de grandes mudanças nos fatos externos.
Se realmente atrairmos a realização para nossa vida e soubermos sintonizar as energias que nos ajudarão a trazer Luz , nada externo nos impedirá , pois o ruído externo só existe porque estamos sintonizados nele.
Você pode iludir-se com a fantasia de que será feliz quando resolver um ou outro problema de sua vida, mas a verdade é que tudo o que precisa ser feito se resume em:
-Desobstruir os Canais
Procure dentro de você a sintonia com o Criador, quando nos conectamos a Eles despertamos nosso potencial adormecido.
Mas para fazer nossa conexão É PRECISO PURIFICAR.
Existem dois aspectos básicos de purificação:
1-O Pensamento
2-A Palavra
A purificação dos pensamentos é o início de tudo, porque se você estiver carregado de idéias e pensamentos negativos, será muito difícil abrir um espaço para a entrada da Luz.
A Palavra tem poder maior do que os pensamentos, uma vez que influencia diretamente as pessoas a nossa volta.
Para entender isso, examine as pessoas ao seu redor. Os que preferem palavras negativas, com freqüência estão sempre em um mundo de sofrimento e caos, já os que preferem palavras positivas e enaltecem seus semelhantes vivem em um mundo de harmonia e contentamento.
Portanto a maledicência precisa ser transcendida para se alcançar a purificação.
Escolha a quais Anjos você quer se ligar.
Aos Anjos Caídos ou o Anjo da Sherriná (Anjo que traz a Presença Divina)
Faça seu Anjo se virar e te ver.
Se grande potencial de luz está pronto para te beneficiar, mas só você pode mudar isso.
Próximo Domingo vamos falar da Sherriná - a Presença Divina
Rose





Esse é o caminho de quem semeia flores... O que você semeou em 2011 vai refletir em cada dia de 2012. Que bom que você já sabe disso!!!!






Reflexão sobre escolhas. O que você escolhe para esse ano? Quer seguir em frente ou quer ver a paisagem "do alto"?
Dez/2011




Um comentário:

  1. Que lindo. Voltei ao tempo no qual bordava, e isso é fantástico...tive vontade de chorar mas vi tanta coisa linda que minhas lágrimas secaram, fiquei só a observar a beleza dos textos e das imagens, que manhã gratificante!

    ResponderExcluir

Seja bem vinda para comentar. Sua opinião é importante aqui.